História de Ladário-MS

DESENVOLVIMENTO
Um dos primeiros exploradores de que se tem notícia a singrar o Rio Paraguai, foi ALEIXO GARCIA, que chefiando imensa comitiva em 1524, passou pelo Rio Paraná e Paraguai, procedendo de Santa Catarina, em direção ao Peru.
Embora de passagem, ALEIXO GARCIA, pode ser considerado, portanto, o primeiro estrangeiro a desfraldar aos olhos da civilização, o panorama virgem das terras Ladarenses.
JUAN DE AYOLAS, em 1538 fez o mesmo percurso que ALEIXO, após subir o Rio da Prata penetrar no Rio Paraguai. Passaram ainda pela região Ladarenses, rio acima naquela época, os seguintes exploradores: ÁLVARO NUNES CABREZA DE VACA ( 1542 ), DOMINGOS MARTINS IRALA ( 1546 ), NUFLOS CHAVES ( 1557 ). Todos esses exploradores ficaram fascinados pelo anúncio lendário, segundo o qual na cabeceira do Rio Paraguai, havia uma serra minerativa de ouro, de cujo metal, os silvícolas manufaturavam adornos e utensílios.
Decorridos mais de 200 anos, o então Capitão-General de Mato Grosso, LUÍS DE ALBUQUERQUE DE MELLO PEREIRA E CÁCERES, completava os planos iniciais de NUFLOS CHAVES, determinando em 1775, o completo reconhecimento do Rio Paraguai, sugerindo levantamento de áreas apropriadas ao Sul do Estado, para a construção de fortes e fixação de povoações em regiões circunvizinhas ao longo dos litorais, tendo em vista a necessidade da defesa do nosso território, contra utilização dos exploradores que não fossem da Coroa Portuguesa.
O sertanista JOÃO LEME DO PRADO, passou a fazer parte da fundação de Ladário, quando se viu incumbido, especificamente, pelo Governador Geral, de fazer o reconhecimento dos Rios Mibotetei e Paraguai, contando com apenas trinta soldados, cedidos pelo Sargento-Mor – MARCELINO RODRIGUES CAMPONÊS.
O sertanista após partir para várias localidades circunvizinhas ( fecho-dos-morros ), Albuquerque ( Corumbá ), Miranda, etc.) à procura de terras adequadas de boas condições para fins agrícolas e para fundar um povoado, acabou retornando ao morro chamado das Pitas, pois oferecia melhores condições agrícolas, este lugar é o nosso atual Município de Ladário.
A nossa História está, portanto, vinculada ao levantamento de áreas apropriadas ao sul do Estado, para construção de Fortes e fixação de povoados e regiões circunvizinhas ao longo do litoral.
A 04/02/1770, Leme do Prado deixou Ladário e voltou para povoação de Corumbá e aquele sítio virou tapera por falta de povoadores. Continuou, porém, a ser freqüentado por pescadores embarcação em trânsito. Mais tarde, não sabemos quando, mercê embarcação do progresso meridional da província, começa Ladário a ressurgir.
Passa a sede da Fazenda, depois Vilarejo. Dia a dia tornou-se mais conhecida a data da fundação de Ladário, para 02/09/1778 tendo como fundador JOÃO LEME DO PRADO

LADÁRIO
Ao fulgar dos exploradores, em datas bem recentes ao descobrimento do Brasil, quando a luta entre os Europeus já se fazia sentir pela posse do restante da Terra de Santa Cruz e da América Latina.
Ela se relaciona, em época e objetiva, com a fundação de Buenos Aires, Peru, Assunção no Paraguai, santa Cruz de La Sierra e Corumbá.

1.º Fato Histórico
Ladário viveu o seu 1.º fato histórico, nos primórdios de seu desenvolvimento, e que dado a sua privilegiada situação, serviu de base para o fundamento da Esquadra Guarani, em 1865, por ocasião da guerra do Paraguai, o que evidenciou a sua posição estratégica, despertando a necessidade de aqui ser instalado o baluarte do território Mato-grossense.
Com este propósito, o então governador do Estado de Mato Grosso, Luís de Albuquerque de Mello Pereira e Cáceres, resolveu transferir de Cuiabá para Ladário, o arsenal de Marinha, cuja localização fora escolhida em 21/11/1871. A 14 de março de 1873, iniciaram-se as obras do Arsenal de Marinha e o plano da povoação de Ladário e de toda a região.
Ficou situado o Arsenal, próximo ã Ilha de São Sebastião fazendo parte continua como ponto inicial e transversal, com as atuais ruas “José Silvestre dos Santos Silva”, “Fernandes Vieira”, “Tamandaré”, “14 de Março” e “Couto Magalhães”,paralelo à antiga “Travessa 13 de Maio”, hoje “Almirante Frontin”. Na parte da rua 14 de Março, ergue-se um majestoso Portão em forma de Arco, que se acha a seguinte inscrição, fundada em alto relevo em chapa de bronze ANNO DE MDCCLXXIII.
POR ORDEM DO MINISTRO JOAQUIM RIBEIRO DA LUZ
O CAPITÃO DE FRAGATA M. R. DA CUNHA COUTO FUNDOU.

Com a fundação do Arsenal de Marinha, Ladário ganhou uma boa parcela para o seu desenvolvimento, e pela Lei n.º 134 de 16/03/1806, foi Ladário elevado de Freguesia à Vila, com os mesmos limites de distrito policial.
Na divisão territorial e administrativa de 1911, Ladário figurou como componente do município de Corumbá, já categoria de Distrito de Paz, situação esta, que permaneceu até 1933.
Naquele ano, Corumbá perdeu dois distritos que antes lhe eram integrantes Ladário e Dourados.
Em 31/12/1936, em vista de nova divisão territorial, Ladário retornou a condição integrante do município de Corumbá, cuja situação permaneceu até 1953.

TURISMO
Ladário apresenta um conjunto de valores que, por si só o torna o maior Patrimônio Turismo em potencial de nosso Estado. O adequado aproveitamento desse manancial poderá ser a chave para a solução dos problemas urbanos com condições de gerar novas alternativas de desenvolvimento condicionando o seu rendimento à manutenção dos recursos.
A cidade desfruta de uma situação privilegiada onde se equilibram com o mesmo peso os aspectos naturais, históricos e culturais, capazes de atender às características dos diversos tipos de turismo, como Turismo Cultural. Turismo Científico e o Turismo de Férias, que exigem um tratamento específico dos profissionais do turismo que deverão unir os diversos elementos de interesse criando um corredor do turismo adequado, resultando em trabalho integralizado , onde o conhecimento da região, de suas tradições e de seu potencial, propicia a distinção necessária ao atendimento de cada grupo.
Na implantação de um corredor turístico deve se levar em conta os diversos atrativos capazes de motivar a visitação turística e o respectivo consumo de instalações, equipamentos produtos específicos.

HOTÉIS POUSADAS
A grande vocação de Ladário é a exploração do turismo para que está procurando dotar-se de uma infra – estrutura adequada e atraente para oferecer melhores condições de lazer e conforto aos turistas.
Será feita de forma seqüencial, uma apresentação das empresas que estão instaladas no Município de Ladário e que trabalham com o turismo, considerando a sua área de instalação, o número de acomodações disponíveis, o valor médio das diárias, o número de emprego gerado, os período de maior e menor fluxo operacional.
Dentro da apresentação serão definidas, primeiramente, as empresas que trabalham com instalações sediadas no perímetro urbano do município , posteriormente, serão analisadas as empresas que trabalham na zona rural e também as agências de barcos. Estes dados serão apresentados na forma de itens, conforme se segue:
Pousada do J.P
Hotel Turístico do Pantanal
Hotel Beija-Flor
Pousada Pontal
Hotel Pesqueiro Anzol de Ouro
Chácara Repouso do Pescador

AGENCIAS DE BARCOS
As empresas que trabalham na prestação destes serviços no atendimento aos turistas estão assim distribuídas:
a)Igarará Turismo Ltda.
Possui um barco hotel, com capacidade para 16 passageiros, cujo valor da diária é de R$ 200,00 por pessoa, com todos os serviços inclusos, exceto o fornecimento de iscas.
Geração de empregos: a tripulação do barco é composta por 5 pessoas e o administrador do escritório .
Período de maior fluxo de serviços é de Setembro a Março, sendo que em boas temperadas dessa atividade, o barco faz um total de 4 viagens por mês.
b) Barcos que operam sem o devidos registros
Segundo informações, existem na cidade outras três embarcações de menor porte que operam de uma forma paralela e isto se dá pela falta de um órgão gerenciador dessa atividade no município, as quais juntas disponibilizam um total de 18 vagas para passeios e pescaria além de geração de emprego, como cozinheiros, o comando das embarcações e a tripulação.
c) Empresas que trabalham com o aluguel de barcos de pequeno porte.
São caracterizadas por pequenos proprietários que possuem cerca de 05 barcos com capacidade para uma média de 02 passageiros mais o piloteiro .
Esses proprietários trabalham como reforço aos proprietários de hotéis / pousadas no complemento das embarcações de que aqueles precisam em períodos de maior fluxo de turistas e trabalham sem um controle junto ao município.
Resultado da construção de um dique-estrada na década de 1970, a construção deste dique fazia parte de um projeto de incrementar o desenvolvimento econômico do sul dos Estados de Mato Grosso, Goiás, Distrito Federal. Foram criados os programas de Desenvolvimento do Centro-Oeste ( PRODOESTE ) e o programa para Desenvolvimento do Pantanal ( PRODEPAN ), tendo como executor das obras de saneamento geral, retificação de cursos de água e recuperação de terras, o Departamento Nacional de Obras de Saneamento ( DNOS ). Dentro deste programa foi criado o projeto do “Polder Hidro-Agrícola” de Corumbá e Ladário, A proposta era tornar aproveitável para a agricultura e a pecuária uma área de 5.000 há que corresponde à área de inundação da sub-bacia da Lagoa Negra. Porém, o projeto parou em 1979 por falta de recursos financeiros após a construção parcial do dique-estrada que deveria promover a interligação da cidade de Ladário com o Porto do Rabicho. Hoje a maior das pousadas estão localizadas nessa região.

BAÍA DO ARROZAL E BAÍA NEGRA
Isquierdo ( 1997 ) definiu está área como sub-bacia da Lagoa Negra, a qual é um exemplo de embasamento da borda oeste do Pantanal. Assim como podem ser citados, como as bacias da Lagoa Uberaba, Castelo, Jacadigo, além de outras.
Portanto, esta região constitui-se num embaiamento que ocupa uma reentrância do Planalto Residual, também é conhecida como Maciço do Urucum que é composto por morros isolados, a seqüência descrita a seguir faz a demarcação dos divisores de água da BLN: morraria do Rabicho, morro de Santa Cruz, morro do Urucum e a morraria de Corumbá ( formação calcária ).
Estas bacias estão localizadas a uma distância de 12 km do centro de Ladário. Para se chegar até elas de forma segura, podem-se utilizar a estrada-dique descrita anteriormente ou por via fluvial através do Rio Paraguai, tendo acesso através de canais denominados regionalmente como corixos. Estes canais tem seus fluxos vazões controladas pelo Rio Paraguai e são responsáveis pela entrada e saída de água das lagoas, sendo que estas estão interligadas entre si.

CARACTERÍSTICAS DAS BAÍAS
Segundo ISQUIERDO ( 1997 ) ocorrem na área de imediações da BLN diversos sítios arqueólogos. Alguns são do tipo aterros e se localizam nas margens das lagoas, outros são antigos aldeamentos que se localizam nas encostas das morrarias e nos patamares mais elevados da superfície aplanada. Também ocorrem grandes painéis com gravuras campestres, que foram entalhadas nos lajedos horizontais ( bancadas lateristicas ).

O VAPOR “FERNANDES VIEIRA”
Famoso navio a vapor que se movimentou nas águas do Rio Paraguai durante quase cem anos.
A trajetória deste navio era de grande importância para nós ladarenses.
O Fernandes Vieira era o único meio de transporte que representava a ligação com a NOB, tendo sido por isto, naquela época, o símbolo do toque desta longínqua região com as grandes metrópoles brasileiras.
Sua chegada era ansiosamente esperada, uma vez que trazia em seu bojo, não apenas gentes novas, conhecidos e familiares, como também as correspondências, encomendas, jornais e revistas, que por vagens de 4 dias, constituíam sempre para nós uma novidade de última hora.

COMISSÃO MISTA FERROVIÁRIA BRASILEIRO-BOLIVIANA
Foi uma instituição do Tratado de Petrópolis, firmado no dia 17 de novembro de 1903, entre Brasil e Bolívia, com vistas à ligação ferroviária entre os dois países. Essa interligação só veio a se concretizar a partir de 25 de fevereiro de 1938, considerando que a Comissão Mista estava situada a leste do Arsenal da Marinha, próximo ao então chamado Porto do Malheiros, hoje imediações do terminal portuário operado pela Companhia de Docas do Estado de São Paulo e Administração da Hidrovia do Paraguai ( CODESPE-AHIPAR ). No dia 30 de julho de 1941, foi inaugurada a interligação Brasil-Bolívia.
Os pioneiros, Sr. Luiz Feijó com um ônibus de luxo, de grande estilo. O Sr. Patrocínio Ferreira e Souza ( Chinoca) com sua jardineira, Sr. Gil da Silva Guimarães irmãos, João da Costa Garcia ( João quer dinheiro ), João de Deus, Carlos Silva, Geazoni, Emílio Gadiola e outros.
Esses pioneiros que se aventuraram na estrada de Ladário/Corumbá deram o impulso para a instalação de empresas de transporte.
A Empresa Ladarense de Transportes Coletivos, sociedade constituída por cotas limitadas, fundada no dia 25 de agosto de 1969 pelo Dr. LICIO BENZI PAIVA GARCIA, Newton Nery de Souza, Sra. ERIMITA LEMOS GUIMARÃES E ALAIDE DA SILVA BEZERRA ( Dona Bidinga ) monopolizou o serviço, mantendo na linha uma frota de ônibus novos e confortáveis que atuava contendo a demanda de passageiros até o ano de 1985, quando foi transformada na hoje Empresa Canarinho.
A Empresa de Transporte Andorinha mantém no nosso município um ponto de vendas de passagem para todas as localidades do País, utilizando o mesmo local para embarque e desembarque de passageiros na Rua 14 de Março.

OS MESTRES-ESCOLA DE LADÁRIO E SEU PRÍNCIPE
Nossa cidade até a década de 30 não possuía um só educandário oficial, ou particular devidamente cadastrado, segundo os princípios pedagógicos de registro oficial. A instrução em massa era favorecida pela atenção de abnegados cidadãos e senhoras que se dedicavam ao santo mister das primeiras letras. Eram funcionários públicos do antigo Arsenal de Marinha, e militares de boa vontade, que detinham determinado cabedal de conhecimentos.

OS PRIMEIROS PROFESSORES
Eduardo Malhado, Judith Pinto Victório, Bartholina de Oliveira Pinto, Antonio Florêncio de Macedo, Nina Moscoso, Guilhermina Carrilho, Sabina Garcia e Alberto de Castro.

ESCOLAS
O nosso município tinha apenas dois educandários que eram: Escola Mista Rural da Freguesia de Ladário e Escolas Reunidas de Ladário, a denominação de Escolas Reunidas de Ladário sofreu várias alterações, que são:
- Grupo Escolar;
- Escola Estadual de 1.º Grau 2 de Setembro.

ESCOLA São Miguel
Fundação – 18/02/1940
Fundado Sociedade Instrução e Beneficência das Irmãs Franciscanas da Imaculada Conceição de Maria de Bollander.
1.º Irmãs: Gertrudes Lang;
Maria Siguisberta Vweidlener;
Maria Amata Deninger; e
Maria Regula Hubler.

Atual administração:
Diretora Pedagógica: Irmã Noemia Flach
Corpo Docente: 20 professores
Corpo Discente: 417 alunos.

ESCOLA ESTADUAL LEME DO PRADO
Fundada pelo decreto-lei n.º 1496 de 28/06/1961.
Hoje a escola conta com um número de 1800 alunos matriculados, sendo 876 no Ensino Fundamental e 926 no Ensino Médio, funcionando com 16 salas de aula, em três turnos: Matutino, Vespertino e Noturno.
Atual Diretor: Antônio Torres de Souza

ESCOLA ESTADUAL 2 DE SETEMBRO
Localizada na Av. 14 de Março.

ESCOLA PROF. JOÃO BAPTISTA
Foi fundada pelo decreto-lei 04/62 na administração do Prefeito Municipal – Exmo. Sr. Hamilton de Figueredo e inicialmente teve suas instalações sediadas à Rua Tamandaré n.º 08.
Com três anos de existência, a Escola passou por várias localizações de funcionamento:
No dia 02/09/85, foi inaugurada as suas instalações próprias localizada na Rua Saldanha da Gama, 2245, onde opera até os dias de hoje.
A Escola funciona em três períodos: maturino, vespertivno e noturno.
A fanfarra da Escola foi criada no ano de 1989, na administração do Exmo. Sr. Prefeito José Francisco Mendes Sampaio. Sendo que esta fanfarra já participou de diversos eventos cívicos e culturais em Ladário, e outros Municípios do Estado de Mato Grosso do Sul, tais como Corumbá, Aquidauana e Campo Grande.
Atual Diretora: Jaqueline Monroe Urquiza
Corpo Docente: 25 professores
Corpo Discente: 1500 alunos.

Pólo 17 de Março, extensão Eduardo Malhado
Na sala de reuniões do S.S.C.H. Quadro de Ladário, em 14 de dezembro de 1967, o Presidente do quadro Sr. Names Antônio Assad, declarou criada uma Escola Primária ( mista) para administração do ensino às crianças de poucos recursos, residentes nesta localidade. Teve como denominação Escola Primária “17 de Março”, como homenagem à data magna da autonomia do Município de Ladário.
Hoje tem como denominação Escola Municipal “17 de Março”, uma vez que a Escola foi municipalizada.
Na direção da Escola encontra-se a Professora Rosana Grillo de Souza, na coordenação a Professora Márcia Patrícia Ramos da Silva.
A Escola dispõe de 05 professores no período matutino e 05 no período vespertino.
Conta com 234 alunos.

ESCOLA FAROL DO NORTE
A Escola foi fundada por membros da Loja Maçônica “Farol do Norte”, quando era presidente o Sr. Amynthas Mônaco, o governador do Estado era o Sr. João Ponce de Arruda. Em princípio a escola recebeu a denominação Escola Rural Mista “Pharol do Norte, conforme Decreto Estadual n.º 687 de 10/09/59, recebendo posteriormente, a denominação de Escolas Reunidas “Farol do Norte”.
No ano de 1974, conforme Decreto Estadual n.º 2230 foi dado a denominação Escola Estadual de 1.º Grau “Farol do Norte”, a mesma entretanto foi desativada no ano letivo de 1985.
A Escola foi municipalizada através do Decreto n.º 7701 de 21 de março de 1994 do Governador Pedro Pedrossian. A partir de então, o patrimônio da escola bem como sua administração passou para o Município de Ladário sob a responsabilidade do prefeito em exercício, Dr. Silvio Maciel da Cruz, recebendo a denominação de Pire Escola e 1.º grau Farol do Norte.

MEIOS DE TRANSPORTE
AÉREO
Na década de 1930, a aviação naval, como força auxiliar da Marinha, e houve, desde logo, um destacamento em Ladário, cujo quartel, especialmente construído, é o prédio do atual Grupamento de Fuzileiros Navais.
A aviação naval, na época, era o ponto máximo de atração militar em nossa região.

OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO
Américo Botelho ( tinha esse codnome porque guiava o bote ) , era um exemplar e antigo funcionário do Correio, lotado na Agência Postal de Ladário, encarregado de apanhar os malotes de correspondências e cargas daquela repartição federal.

A cidade de Ladário tem uma Estação de Captação e Retransmissão de sinais de Televisão que transmite as emissoras TV Manchete, TV Bandeirantes e SBT- Sistema Brasileiro de Televisão.
O Jornal Ladarense fundado em 08/09/70 pelo cronista JOÃO LISBOA DE MACEDO. Começou a distribuição em folhas mimeografadas sob o título de “O LADARENSE”( idealizado). 21 a 27 de junho. Hoje o nosso jornal continua circulando sob a direção de Valéria.

ENTIDADES FILANTRÓPICAS
- LOJA MAÇÔNICA PHAROL DO NORTE;
- LIONS CLUBE DE LADÄRIO;
- SELETA SOCIEDADE CARITATIVA HUMANITÁRIA ( S.S.C.H. ); e
- ASSOCIAÇÃO SOCIAL, CULTURAL E RECREATIVA DOS MILITARES DA RESERVA.

RELIGIOSIDADE
IGREJA NOSSA SENHORA DOS REMÉDIOS
Inaugurada em 07/01/1893

IGREJA NOSSA SENHORA DAS MERCÊS
Inaugurada em 01/03/1988.
IGREJA DE SANTO ANTONIO

CENTRO ESPÍRITA VICENTE DE PAULA
Fundada em 26/06/1914.

CETRO ESPÍRITA ALLAN KARDEC

IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLÉIA DE DEUS

PRESBITERIANA DE JEOVÁ E UNIVERSAL


PRAÇA ALMIRANTE GASTÃO BRASIL
Onde se encontra a máquina – lkocomotiva que desbravou nossa região trazendo o minério do Urucum ao Porto de Embarque ao lado da Marinha, foi trazida pelos ingleses que exploravam a extração de minério no início do século.

ESTÁTUA DA IRMÃ MARIA REGULA HUBER
Irmã Regula, nasceu na cidade de Reichenbach na Alemanha Ocidental, em 04 de junho de 1911. Chegou em Ladário no dia 26/06/1942 a bordo do navio “Fernandes Vieira” em plena Segunda Guerra Mundial. Fundou a Escola São Miguel, iluminou a cidade com luzes do ensinamento. Ladário outorgou-lhe o Título de Cidadã Ladarense. Faleceu em São Paulo em 15 de janeiro de 1984.

BUSTO DE JOÃO BARCELLOS
Foi o maior escultor de sua época. Nasceu em Corumbá em 07 de setembro de 1888.

MIRANTE PANTANEIRO
Foi inaugurado no dia 2 de setembro de 1993
Está localizado no início da Rua Riachuelo próxima à barranca do Rio Paraguai.

LADÁRIO ATLÉTICO CLUBE ( LAC )
Fundado em 14 de março de 1926.
É a mais antiga entidade social e esportiva da cidade.

CLUBE CAMALA
É um Clube militar fundado em outubro de 1976.

TRADIÇOES LADARENSES

CARNAVAL
Nossos antepassados nos relatam sempre grandes e animados cordões, blocos de mascarados, carros alegóricos e depois, escolas de samba tiveram o seu nascedouro na sociedade ladarense. Foram várias entidades, cujos nomes recordamos “Amantes da Lira”( de marinheiros ) , “Marcílio Dias”. “: Heitor Romeu”, “Os Lenhadores”, “O Pancada do Cego”, “Os Amadores do Pancada”, as escolas de samba “Viva a Marinha”” ( a primeira da região), constituída exclusivamente de marinheiros, instalada no Sobradinho), a “A Hora ) “, “Lá Vai Madeira”( de Fuzileiros Navais ) O Bloco Infantil “As Mulatinhas” criação de Jiló e Jaú.
Bloco das Meninas Direitinhas ( somente mulheres ).
Os Desligados de Ladário ( inicialmente somente homens ), mas ambos existiram em épocas diferentes.
E atualmente temos: O Bloco Fuzarca;
Amigos;
Ladarense Mesmo;
Mocidade do Pelão;
No Limite;
Bloco Boa Esperança;
Unidos do Porto; e
Tradição.
Ponto culminante do carnaval de outrora, era a disputa entre os blocos e cordões. Um dos mais famosos foi o que existiu entre os Amantes da Lira e Heitor Romeu.

PAU DE SEBO
Muito usado pelos antepassados nas festas juninas- como diversão. Era constituído de um poste de madeira comprido ( 4 metros ou mais de comprimento), resistente e liso, integralmente descansado, fincado no terreno e totalmente besuntado de sebo. A brincadeira consistia em escala esse pau e pegar o prêmio que estava fixado no topo.

FESTAS JUNINAS
Santo Antônio- 13 de junho
São João- 24 de junho
São Pedro- 29 de junho
Tem seu ponto culminante na Festa de São João que é de origem portuguesa. Na noite de 23 para 24 de junho, em frente à Igreja N.Sª dos Remédios, as pessoas se reúnem numa divertida quermesse, com comidas típicas, desfile de trajes caipiras. O auge da festa é quando se leva o santo num andor- São João Batista em procissão, com lanterninhas, ao som de cantos típicos, até o porto- passado pela ladeira D ª Filomena. Lá é feito o banho do Santo.

SERVIÇOS ESSENCIAIS
SANESUL
O serviço de abastecimento de água é feito em convênio com a Sanesul, que mantém um escritório na Rua Comandante Souza Lobo.
Em 1998, o sistema de abastecimento de água de Ladário, tornou-se independente de Corumbá, sendo realizada as seguintes obras:
- reforma de uma antiga captação de água bruta;
- instalação de conjuntos moto- bombas para captar água bruta do Rio Paraguai para bombear água tratada para a cidade;
- implantação de adutora de água bruta e água tratada;
- implantação de uma estação de tratamento de água para 240 metros cúbicos/hora.
Mas no passado a água chegava até nós de maneira bem mais difícil. Os carreiros que eram. Assim eram chamados os homens que faziam o abastecimento de água em Ladário.

ENERSUL
Presta serviço de fornecimento de energia elétrica, mantendo também com o Município em convênio para a manutenção da iluminação pública.


ORQUESTRA E BANDAS FAMOSA
Fora do âmbito da Banda Militar, a primeira Banda de Música civil surgiu em Ladário, de um tal Oliveira, em fins de 1890, dela só sendo recordados os músicos Henrique tocador de bombo e Pacheco prateleiro.

FIGURAS PITORESCAS
NENÊ PEIXE-PODRE:

Era um vendedor ambulante de peixe.

Sr. MARCELINO:
Gostava de tocar violão e compunha as suas trovas.

NICOLAU:
Quando bebia entoava melodia ou forjava na hora amitindo a seguinte onomatopaica sonora: LÓ ! LÓ ! LÓ ! LORORÓ ! LÓ ! LÓ ! LÓ ! LORORÓ !

AGUI:
Sempre acertava as horas pela direção do Sol, quase nunca errava.

MARTIM BATE-LATA:
Andava pela rua maltrapilho, batendo lata de banha vazia.

ROMILDO:
Negro forte só vivia correndo, emitando carro dizendo fom ! fom !.

CHIQUINHA DO PORTÃO:
Era uma mulher que andava toda enfeitada.

DANÇA REGIONAL
Temos o Siriri e o Cururu, Quadrilhas Juninas, Samba, etc.

FONTE: http://associacaodosmilitares.vilabol.uol.com.br/ladario.html